Sep 5, 2008

Através do espelho

Estava cansada, muito cansada. De tudo, de todos. Não, não era cansada a palavra que ela procurava...entediada, talvez?É, acho que era isso: tédio.
E uma vez, há algum tempo já, ao tomar a terrível decisão de ser sincera e dizer, com todas as letras, em alto e bom som que estava E-N-T-E-D-I-A-D-A, acabou gerando uma crise enorme, quase como a que se viu com a queda da bolsa em 29.

- Mas por que você está entediada?
- E tem que ter motivo pra estar?
- Claro que tem. Olha, aqui tem um monte de coisas pra você fazer.
- hummm
- Tem televisão, dvd, um monte de filmes...
- Não, quero não, obrigada.
- Tem a piscina!Vai pra piscina, ó, não tem ninguém lá agora, a piscina é só sua.
- hum-hum.
- Você está querendo me irritar, é isso?
- Não, só estou entediada.
-Entediada como, meu Deus???Tem uma praia linda aí na frente, tem uma rede aqui...vamos caminhar, jogar frescoball.
-...

E assim foi. Arrependeu-se amargamente de ter falado sobre isso. Até hoje, vez por outra, o assunto volta à tona.

Saco.

E agora, apesar de todas as circunstâncias adversas, apesar de nem encontrar tempo de procurar uma palavra no dicionário que defina o quão ocupada ela está, mesmo assim, ela está absurdamente entediada. Pensava nisso ontem, enquanto, completamente sem saco para fazer coisa alguma, refletia sobre seu comportamento nos últimos dias.

Ela estava assim, assim, sabe? Um tanto quanto, digamos assim, carente. Necessitando de atenção. Ela estava chata, para dizer a verdade. Pensou e pensou o motivo de estar assim e percebeu que o problema, no fundo, era que estava com medo. Medo de não mais receber a atenção que lhe era dedicada já há algum tempo, tal qual uma criança recebe, porque agora ela estava bem; ou melhorando, ao menos.

"Fazem você acreditar em coisas que não são verdadeiras, que não são suas, mas em que você acredita piamente. Você tem que se descobrir e descobrir muito sobre você, todos os dias. Coloque-se em primeiro lugar.'

Conversando com você, ouvi essas mesmas palavras. Coincidência? Não, aprendi com Arcanjo que não existem coincidências.

Se você repete mil vezes uma mentira, ela acaba por se tornar verdade. Ao menos para você. Se você passa a sua vida acreditando, provavelmente por alguma associação nonsense, que repetir uma atitude vai fazer com que você receba atenção, carinho, afeto e amor, você vai se tornar um adulto confuso e carente, extremamente necessitado de atenção e incompreendido.

E foi isso o que ela se tornou. Uma adulta carente, com baixa auto-estima e falsas crenças. Que sabota seus relacionamentos, por mais que queira que eles dêem certo; que não acredita em si; que não se acha capaz; que se acha feia, chata e gorda; que não acredita que alguém seja capaz de amá-la - não, de jeito nenhum. Alguém como ela, com tantas outras opções muito melhores por aí? Por quê?

Impossível.

Todos os dias, ela se olha no espelho e vê tudo isso. E repete que é impossível, enquanto assiste a ele ir embora.

4 Comments:

  1. Ariana said...
    Meu Deus, que texto lindo!
    Combina mto comigo viu! principalmente essa parte:
    "Ela estava assim, assim, sabe? Um tanto quanto, digamos assim, carente. Necessitando de atenção. Ela estava chata, para dizer a verdade. Pensou e pensou o motivo de estar assim e percebeu que o problema, no fundo, era que estava com medo. Medo de não mais receber a atenção que lhe era dedicada já há algum tempo, "

    Perfeitoo!


    ps: Pode colocar o texto sim!

    Beijão
    Camila said...
    "Uma adulta carente, com baixa auto-estima e falsas crenças. Que sabota seus relacionamentos, por mais que queira que eles dêem certo; que não acredita em si; que não se acha capaz; que se acha feia, chata e gorda; que não acredita que alguém seja capaz de amá-la - não, de jeito nenhum. Alguém como ela, com tantas outras opções muito melhores por aí? Por quê?"
    É o que me pergunto....
    D.J said...
    Lindo texto!
    Me deu um aperto no peito de ler, ainda mais hj.
    Mas se deu aperto no peito é porque o texto vale a pena. E mais ainda qdo vc se descobre nele.
    "Uma adulta carente, com baixa auto-estima e falsas crenças. Que sabota seus relacionamentos, por mais que queira que eles dêem certo; que não acredita em si; que não se acha capaz..."
    Jaya said...
    Eu prefiro lembrar que o espelho reflete apenas o superficial. Eu queria era que a menina do texto enxergasse assim também. A gente sabe que do maior, do que importa, ninguém enxerga com os olhos. É mais ou menos como aquela passagem descrita em “O Pequeno Príncipe”: só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos.

    Meu coração, de cá, sabe das qualidades sem fim que a menina carrega consigo. E o coração dela é música, também. É que mesmo em todo o caos, mesmo com o tédio, com a carência, e as situações que parecem insistir em colocar o dedo na ferida, sei que ela pode fazer de todos esses deslizes um passo de dança. E continuar a enfeitar-se.

    Espelho é reflexo fútil. Do lado de dentro mora um mundo de maravilhosas coisas que só serão permitidas enxergar àqueles que lhe entregarem sentimento. Que forem soma. Que ousarem dividirem-se nela.

    Aí você falou de medos, auto-sabotagem. Velhos conhecidos meus, confesso. Acredito que companheiros de uma vida inteira. A gente tenta maquiar, sim, mas a máscara não cola pra sempre. Isso me espanta.

    Uma última coisa: joga fora o espelho!

    Meu beijo.

Post a Comment



Template by:
Free Blog Templates